Novinha bem tesuda e vadia dando sua buceta pro vizinho tarado

Novinha bem tesuda e vadia dando sua buceta pro vizinho tarado

Larissa, amiga da minha irmã, sempre foi chatinha e fresca. Em tudo ela reclamava e criticava. Eu, sem paciência para folgadas, sempre dizia que era falta de rola! Isso mesmo, de rola, cacete, pau e de uma boa foda! O pior de tudo isso é que ela namorava há mais de cinco anos com o mesmo bosta. Meu, só poderia ser um bosta quem namorava a Larissa, ou santo.

 

Larissa, vinte e um anos, branquinha, magrinha, seios sempre à mostra em seus decotes avantajados, usava roupas coladas e justinhas, como minissaias, calças suplex e vestidos tubinhos. Mas a sua cara e risadas falsas a deixavam feia. Puta que pariu, foi o que eu disse quando a minha irmã anunciou sua vinda para assistir ao jogo do Brasil e do México. A galera aumentou em felicidade e zueira para assistir aos jogos, mas não fui o único quem reclamou.

 

Lari, como gosta de ser chamada, chegou com uma microminissaia amarela e uma blusa decotada mostrando sua barriguinha, fora o salto nas alturas, o que a deixava relativamente, gostosa. Mas ao chegar e todo mundo comprimentá-la vimos sua cara de nojo. Puta que pariu! Quem, numa tarde com os amigos, com comidas e bebidas de graça, iria ficar com aquela cara de cú? A Lari.

 

Claro que quem não a conhecia, “chegou” nela e claro, levou uma senhora “patada”, que para mim, era na verdade um “coice”! Eu já havia me cansado dela e parti para meu antigo quarto, quando ainda morava na casa dos meus pais. Cheguei por lá, abri uma smirnoff e sentado no sofá fiquei assistindo ao jogo e quando menos espero, Lari apareceu, querendo tomar satisfações comigo.

 

-Ah na boa Lari, vai caçar outra pessoa, que não estou afim nem de olhar para a sua cara.

 

-Luis, o que você tem contra mim, nunca te fiz nada.

 

-Eu é que te pergunto, o que eu fiz para você ter que subir as escadas e ficar me atrapalhando aqui?

 

-Não posso fazer nada que você reclama e “bufa” de mim.

 

Cacete, aquela porra de discussão não iria levar a nada, quando eu cheguei perto dela, fechando meu quarto a chave e disse na sua cara, pegando sua mão e colocando em cima do meu pau.

 

-Sabe como eu te faço melhorar a cara nojenta que você tanto faz, Lari? Com rola!

 

Baixei o zíper da calça, coloquei a mão dela dentro da minha calça e mandei ela sentar no sofá. Ela ficou chocada com a minha atitute, e eu pensava só em foder ela, pois era a única amiga da minha irmã que não havia comido. Ela era feia de rosto e sua cara de nojenta não ajudava, mas aquela microminissaia era de deixar qualquer um de pau duro, mesmo com ela.

 

Coloquei meu pau para fora e aproximei da sua boca. Ela virava e tentava afastar, segurei suas mãos e coloquei meu pau na sua cara, passando pela bochecha, testa, cabelos, pescoço e depois para a sua boca, que continuava fechada.

 

-Vai chupar minha rola não é? Cheguei com meu rosto perto dela e a beijei na boca, chupando-a com a minha língua, depois me levantei e soquei meu pau na sua boca, agarrando sua cabeça e empurrando para engolir meu pau. Minha indelicadeza era gritante, pois enquanto ela chupava meu pau, eu tirei sua blusa, quase arrancando do corpo dela. Seus seios eram até apetitosos. Tirei meu pau de dentro da boquinha dela e a deitei no sofá, ficando por cima. Chupei um pouco seus seios, sempre sugando e dando umas mordidinhas nos biquinhos. Depois fiquei de joelhos e comecei a colocar meu pau entre os peitos, fazendo uma espanhola. Enquanto fazia isso, dei dois tapas servidos na carinha dela, que estava entre chocada e assustada.

 

Nem precisava tirar sua microsaia, abri suas pernas, afastei sua calcinha branca e meti minha rola dentro dela, fazendo-a gritar. Tive que tapar sua boca e aumentar minhas socadas. Fazendo força com os pés no “braço” do sofá, forçava cada vez minhas metidas dentro dela. Lambia seu pescoço e mexia nos seus peitos. Parei de meter dentro dela e a virei de barriga para baixo, abri suas pernas, enfiei minha rola de novo dentro dela e recomecei a comê-la, agora puxando seus cabelos e socando com violência sua buceta. Cada vez mais rápido a comia, enquanto ela gemia e suava. Quando estava prestes a gozar, saí de dentro dela, a puxei pelo cabelo e tentei colocar meu pau dentro da sua boca, onde ela fechou e dizia que não chuparia, mas eu não estava nem aí, bati rapidamente uma punheta, massageando seus seios e comecei a gozar na cara da Larissa, na boca, nos olhos, e nos peitos, passando meu pau por todo o seu rosto.

 

Esposa contrata Garota de Programa para Maridão

 

Ela não sabia o que fazer. Depois que me vesti, peguei uma toalha e mandei ela se banhar. Não nos olhamos depois disso, e descemos juntos, quando estava aos dez minutos do segundo tempo. Lari não mais reclamou e de vez em quando, ela me olhava. Ainda continuava feia para mim, com suas caras de nojo, mas ganhou pontos comigo por ser bem gostosa na foda.

100407
-
100%
Rates : 84747
Related videos
2 comments
    Responder
  1. Fernando (42991462764) / 4 de maio de 2017

    Nossa que novinha gostosa adoro uma buceta novinha pra mim socar tudo e ver ela ficar de tesão 😘😘😘

  2. Responder
  3. Samuel / 5 de maio de 2017

    Esse video é de ficar com o maior tesão meu. Tô afim de comer uma bucetinha com essa gostosa. Que tesão meu .

Deixe seu comentário